terça-feira, 22 de março de 2016

Tudo que você precisa saber sobre desocupação do imóvel.


Alugar um imóvel demanda muitos cuidados. São inúmeros os direitos e deveres do locador e do locatário e, por essa razão, gera tanta dúvida para os consumidores. Para esclarecer os principais pontos que esse assunto abarca como, por exemplo, denúncia vazia, despejo, desocupação antes do término do contrato, entre outros, que ainda são obscuros para o consumidor, resolvemos fazer este post para esclarecer quais os direitos e deveres do locatário e locador na hora da desocupação.


Solicitação de desocupação a pedido do Proprietário

De acordo com a Lei, o proprietário tem o direito de pedir o imóvel durante ou após a vigência do contrato, ou seja, a qualquer momento. Nesse caso, deverá informar ao inquilino, oficialmente, por meio de um documento.
O Prazo mínimo concedido em lei para desocupação do imóvel, terminado o contrato, é de 30 dias. Entretanto, existem diversas situações previstas em lei.
Caso o inquilino não saia do imóvel, ou seja, se não for possível nenhum acordo de desocupação voluntária, o proprietário poderá entrar com um pedido judicial denominado “ação de despejo” e a desocupação do imóvel será decida por um Juiz. Nesse caso, se o inquilino concordar com a desocupação do imóvel, manifestando-se por meio de um advogado, no prazo de contestação, serão concedidos seis meses para a saída do imóvel.
Se o locatário respeitar o acordo, não pagará as despesas processuais e os horários do advogado do proprietário. Por outro lado, se o acordo for desrespeitado, além de arcar com as custas, receberá a ordem judicial de despejo. Nessa situação, o locatário deverá sair imediatamente do imóvel. Cabe destacar que o proprietário não tem o direito de solicitar a desocupação do imóvel à força, retirando os pertences do locatário, colocando-os na rua, a lei não dá esse direito a locador e o inquilino pode, nesse caso, acionar a polícia. Entretanto, com a expedição da ordem judicial, se o inquilino se negar a sair dentro do prazo estipulado o proprietário poderá usar de força policial para exigir o cumprimento do mandado de desocupação do imóvel.

Desocupação por vontade do inquilino

O inquilino pode sair do imóvel antes do término do contrato, desde que ele pague a multa pactuada, proporcional ao prazo total do contrato. Caso não haja nada previsto no contrato, valerá o que for determinado judicialmente. Por outro lado, há duas situações em que o locatário é desobrigado a pagar a multa: 
1) se a necessidade da rescisão for por causa de transferência do seu local de trabalho, a pedido do empregador e; 
2) se o contrato de locação for por prazo indeterminado. Nesses casos, basta a comunicação formal para o proprietário, com 30 dias de antecedência. Essa comunicação deverá ser feita por escrito, em duas vias, com data e assinatura do emissor do documento e do proprietário, atestando recebimento, e cada parte deverá ficar com uma cópia.

Denúncia Vazia:

Trata-se do direito do proprietário solicitar a desocupação do imóvel, sem necessidade de justificativa, após o fim da vigência do contrato, sem a necessidade de aviso prévio.

A denúncia vazia pode ocorrer:

A) Nas locações, a partir de 20/12/1991, contratadas por escrito e cujo prazo inicial de locação seja igual ou superior a 30 meses (2 anos e meio).
Nota: se o inquilino permanecer no imóvel após o prazo estabelecido no contrato, o proprietário poderá solicitar o imóvel a qualquer tempo. Serão concedidos 30 dias para a desocupação.
B) nas locações ajustadas verbalmente ou por escrito, com prazo inferior a 30 meses, se o inquilino tiver permanecido na locação por mais de cinco anos ininterruptos. Serão concedidos 30 dias para a desocupação.
Nota: As locações ajustadas verbalmente podem ser comprovadas por meio de recibos, contas de luz, testemunhas etc.

Despejo por falta de pagamento:

A falta de pagamento de aluguel e dos encargos da locação, como água, luz, condomínio, entre outros é considerada uma infração contratual e pode acarretar uma ação de despejo por falta de pagamento.
Para evitar o despejo, durante o andamento da ação o inquilino deve negociar o pagando o débito atualizado. Esse pagamento, deverá ser feito por meio de depósito judicial, que deve incluir todos os aluguéis e acessórios (condomínio, água, e o que mais houver) vencidos até então, acrescidos de multas e penalidades contratuais, quando exigíveis, mais juros de mora, custas e honorários advocatícios.
Mas esse recurso de pagar o aluguel após a ação de despejo por falta de pagamento só pode ser utilizado apenas 1 vez a cada 2 anos de locação. Se deixar de pagar o aluguel e for proposta uma ação de despejo em período inferior a 24 meses de outra ação proposta pelo mesmo motivo, o pagamento do débito não evitará o despejo.

Outros casos de desocupação

Quando o contrato de locação for inferior a 30 meses (dois anos e meio), o proprietário poderá pedir a desocupação do imóvel nos seguintes casos:
a) extinção do contrato de trabalho vinculado à locação;
b) para uso próprio, do cônjuge ou companheiro;
c) para uso residencial de ascendentes (pai, mãe, avós etc.) ou descen-dentes (filhos) que não tenham imóveis próprios;
d) para demolição e edificação;
e) para realização de obras que aumentem a área construída em, pelo menos, 20% (vinte por cento);

Também nas seguintes situações:

a) acordo formal entre as partes;
b) infração legal ou contratual;
c) falta de pagamento do aluguel e/ou encargos;
d) necessidade de reparação urgente do imóvel determinado pelo Poder Público (Prefeitura, por exemplo) que não possa ser executada com a permanência do inquilino no imóvel ou, podendo, ele se recuse a permiti-la;
e) alienação, venda ou cessão do imóvel (nestas circunstâncias, o prazo para desocupação do imóvel é de 90 dias – veja quadro a seguir);
f) extinção do usufruto ou fideicomisso (nestas situações, o prazo para desocupação do imóvel é de 30 dias).

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Inflação do aluguel mais que dobra em janeiro, diz FGV.

Em 12 meses, o índice acumula alta de 10,95%.
Avançaram preços no atacado e varejo, considerados no cálculo do índice.


A inflação do aluguel, medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado) registrou variação de 1,14% em janeiro, mais do que o dobro de dezembro, quando o indicador variou 0,49%, segundo informou nesta quinta-feira (28) a Fundação Getulio Vargas (FGV). No primeiro mês de 2014, a taxa havia ficado em 0,76%.
Em 12 meses, o índice acumula alta de 10,95%.


Usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede os preços no atacado, avançou de 0,39% para 1,14%.
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que avalia os preços no varejo e também entra no cálculo do IGP-M, registrou variação de 1,48%, em janeiro, ante 0,92%, em dezembro, com destaque para o grupo de gastos relativos a educação, leitura e recreação (de 1,05% para 3,67%).
Com peso menor que o dos outros subíndices, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,32%, acima do resultado de dezembro, de 0,12%.

Fonte: G1 Economia

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Registro de Empresa

Caro(a) Corretor(a) de Imóveis,

A atividade empresarial é uma das molas propulsoras do desenvolvimento econômico e social de nosso país, que amplia a capacidade produtiva, gera renda e, consequentemente, melhora as condições de vida de nossa sociedade.
Diante do exposto, para você que busca dinamizar sua profissão agregando a atividade empresarial, seguem informações detalhadas sobre os tipos de empresas (naturezas jurídicas) que permitem sua inscrição no CRECI-RS.

Etapas de registro da empresa

Para abertura, registro e legalização de uma empresa, é necessário o registro na Junta Comercial ou no Cartório, em função da natureza das atividades constantes do objeto social, inscrições em outros órgãos, tais como Receita Federal (CNPJ), Prefeitura Municipal, Previdência Social e Caixa Econômica Federal.
O passo inicial para constituição da empresa será no Órgão responsável pelo registro.
Para tanto se faz necessário verificar qual será a modalidade de sua empresa, para se dirigir ao devido estabelecimento.
O empresário individual é registrado apenas na Junta Comercial, as demais modalidades de sociedades ou EIRELI podem ser registradas na Junta Comercial ou Cartório de acordo com o objetivo social descrito no contrato de constituição da empresa. Conheça as características de cada modalidade e faça sua opção.




Obs: No caso de registro no Cartório de Registro Civil, a constituição da empresa deverá iniciar primeiramente no Órgão de Classe, tendo em vista a necessidade de averbação no contrato social ou alteração contratual.

Inscrição na Secretaria da Receita Federal do Brasil

No que tange à inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), informamos que em quase todas as Juntas Comerciais essa inscrição pode ser feita juntamente com os documentos de registro. Caso o sistema de sua cidade ou estado não esteja integrado, essa inscrição deverá ser efetuada após o registro na Junta Comercial. Já no caso de registro no cartório, o registro não é integrado. Segue link contendo as informações necessárias para proceder a Inscrição na Secretaria da Receita Federal do Brasil:

Inscrição no CNPJ – Orientações

Prefeitura Municipal

Se a empresa exercer atividade de serviços, providencie a inscrição na Secretaria de Finanças ou de Fazenda da Prefeitura. Em vários municípios, essa solicitação se dá simultaneamente com a solicitação do Alvará de Funcionamento.

ALERTA IMPORTANTE!

O Alvará de Funcionamento é o documento hábil para que os estabelecimentos possam funcionar, respeitadas ainda as normas relativas a horário de funcionamento, zoneamento, edificação, higiene sanitária, segurança pública e segurança e higiene do trabalho e meio ambiente. A expedição do alvará é de competência da Prefeitura Municipal ou da Administração Regional (no caso do Distrito Federal) da circunscrição onde se localiza a empresa. Uma vez obtido o Alvará de Funcionamento Provisório ou o Alvará de Funcionamento, conforme o caso, a empresa poderá iniciar as suas atividades.

Cadastro na Previdência Social

Após a concessão do alvará de funcionamento, a empresa já está apta a entrar em operação. No entanto, ainda faltam duas etapas fundamentais para o seu funcionamento. A primeira é o cadastro na Previdência Social, independente da empresa possuir funcionários. Para contratar funcionários, é preciso arcar com as obrigações trabalhistas sobre eles. Ainda que seja um único funcionário, ou apenas os sócios, inicialmente, a empresa precisa estar cadastrada na Previdência Social e pagar os respectivos tributos. Assim, o representante deverá dirigir-se à Agência da Previdência de sua jurisdição para solicitar o cadastramento da empresa e de seus responsáveis legais. O prazo para cadastramento é de 30 dias após o início das atividades.

Inscrição no FGTS (Caixa Econômica Federal)

A inscrição no FGTS deverá ser realizada nas agências da C.E.F. É de fundamental importância a inscrição da empresa, mesmo que não possua funcionário, para que caso haja necessidade de consulta dos demais órgãos sobre a regularidade do FGTS, será possível a emissão de certidão. Segue link contendo as informações, porém o cadastro é realizado de forma presencial nas agências da CEF.


MODALIDADES

  • EMPRESÁRIO INDIVIDUAL;
  • SOCIEDADES;
  • EIRELI.

COM RELAÇÃO AO SIMPLES NACIONAL

As alterações promovidas pela Lei Complementar 147/2014 abriram, sem dúvida, boas perspectivas quanto à redução de tributos e a um regime fiscal mais justo, baseado no faturamento.

No caso, as modalidades empresário individual, EIRELI e Sociedade Empresária ou limitada, poderão optar pelo Simples somente como Microempresas (ME) ou Empresas de Pequeno Porte (EPP).

O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) aprovou a Resolução CGSN nº 115, de 4/09/2014, que veicula os primeiros itens da regulamentação das alterações trazidas pela Lei Complementar nº 147, de 7 de agosto de 2014, sendo inseridas novas atividades empresárias e a corretagem de imóveis a terceiros e os serviços prestados mediante a locação de imóveis foram inseridos no anexo III da LC 123/2006.

O limite da receita bruta anual para a opção pelo Simples é de R$ 360 mil para as MEs e até R$ 3,6 milhões para as EPPs. E em termos fiscais, a corretagem imobiliária está enquadrada na tabela 3, cujas alíquotas variam de 6% a 17,42%. Ainda assim, para fazer a melhor escolha, é essencial que a empresa analise junto ao seu contador a situação mais vantajosa em termos tributários.

A empresa terá 30 dias após a constituição para aderir a esta opção através do site da Receita Federal - Simples Nacional.

Segue a tabela do Simples Nacional ANEXO III para conhecimento.


TABELA DO SIMPLES NACIONAL

Anexo III



Seguem links que serão de grande valia para sua empreitada e manual do Departamento de Registro Empresarial e Integração da Presidência da República que, com certeza, facilitará sua compreensão quanto aos requisitos exigidos para constituição de empresário individual, EIRELI e sociedades.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Inadimplentes terão imóveis do Minha Casa Minha Vida retomados pela Caixa

Mudança de postura do banco em relação à cobrança de quem não está pagando as prestações atinge a faixa 1 do programa — ou seja, famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil.



A categoria do Programa Minha Casa Minha Vida que está com maior índice de inadimplência terá seus imóveis retomados pela Caixa. A informação foi dada na edição deste domingo do jornal O Estado de S. Paulo.

Os beneficiários que correm esse risco representam 25% do total de participantes da faixa 1 do programa social do governo federal e estão inadimplentes há mais de três meses. Da categoria, fazem parte famílias com renda mensal de R$ 1,6 mil.

O índice é dez vezes maior do que os atrasos dos financiamentos imobiliários tradicionais e também bem acima dos demais beneficiários. Esse tipo de contrato tem subsídio (a parte paga pelo governo) de até 95%, e as prestações não podem ultrapassar 5% da renda da família.

Quem está com os pagamentos atrasados, após os primeiros dias de vencimento das faturas, passou a receber ligações e SMS de cobrança da Caixa.

A mudança de postura acontece devido ao agravamento da crise econômica do país e ao fato de a quase totalidade desses imóveis estar sendo bancada com dinheiro público.

Fonte: Zero Hora

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

OS ÚLTIMOS DIAS DE DILMA EM BRASÍLIA E OS PRIMEIROS DE LULA, NA CADEIA!

As próximas 72 horas serão decisivas para a política brasileira. 


A indicação de que Lula é a “bola da vez“, recaindo sobre ele o comando das “atrocidades” praticadas contra os cofres da Petrobrás, e a indicação que poderá ser preso a qualquer momento, transformam Brasília, neste final de semana, no “caldeirão do capiroto“… SALVE-SE QUEM PUDER!

Numa manobra escapista, na qual tenta salvar sua própria pele, a Presidente Dilma Rousseff estaria, giza-se estariadisposta a “sacrificar” Edinho Silva, Mercadante e Jaques Wagner do seu quadro de Ministros. Deslocaria José Eduardo Cardoso da Justiça para o Ministério da Defesa, para tentar debelar “o fogo dos quartéis“; estaria à procura de um novo “Tancredo Neves” e esse nome pode ser Pedro Simon para chefiar a Casa Civil, que assumiria a figura de “um primeiro-ministro” na vaga de Mercadante que iria para a Defesa – seu pai é General da Reserva -; Wagner assumiria a função de Ministro de Assuntos Institucionais e Edinho Silva ficaria na estrada, à mercê de um camburão da Polícia Federal, demonstrando DESAPEGO para com os aloprados…

Na Justiça, Dilma sonha todos os dias com o ex-Ministro do STF, Cezar Peluso.

Mesmo sendo editado há exatos 3 mil kms de Brasília, o Cristalvox possui excelentes fontes nos arredores da “copacabana”.

Quem viver, verá!

Fonte: Cristalvox

Até os petistas acham provável o impeachment de Dilma. Até o TSE pode cassar o PT.

O fim do partido está a cada dia mais próximo.


Mônica Bergamo informa na Folha:

“Ministros, deputados e senadores do PT já consideram não apenas possível mas provável que a presidente Dilma Rousseff seja afastada do governo num processo de impeachment ainda neste ano. O clima é de abatimento”.

Outra matéria do jornal acrescenta que o TSE vai decidir se abre uma investigação para apurar se o PT foi financiado com recursos desviados do petrolão.

O ministro João Otávio de Noronha emparedou o presidente do tribunal, Antonio Dias Toffoli, encaminhando-lhe o pedido.

Se Toffoli der andamento, o PT poderá ter o sigilo de suas contas quebrado e, caso comprovadas as notórias irregularidades, ser punido com a cassação do registro.

Não se sabe se Toffoli também está abatido. Mas o fim do partido está a cada dia mais próximo.

Por: Felipe Moura Brasil

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Contas do Estado serão desbloqueadas nesta quinta-feira.

Até a meia-noite, recursos do ICMS relativos à substituição tributária seguirão entrando no Tesouro estadual, propiciando o fim do bloqueio imposto pela União.

Depois de 10 dias paralisadas pelo governo federal, as contas do Estado serão desbloqueadas na manhã desta quinta-feira. Ao retomar o controle do caixa, oPalácio Piratini garante que pagará a segunda parcela dos salários do funcionalismo — equivalente a R$ 800 líquidos — na sexta-feira, conforme o cronograma.

O fatiamento da folha foi anunciado em 31 de agosto, quando a Secretaria da Fazenda deixou, mais uma vez, de pagar a dívida com a União. A "pedalada" levou o governo federal a aplicar a sanção prevista no contrato para sequestrar o valor postergado.

O governador José Ivo Sartori chegou a ir ao Supremo Tribunal Federal com os presidentes da Assembleia e do Tribunal de Justiça para pedir compreensão e pressionar pelo desbloqueio, mas não teve êxito.

A partir de agora, com fim da punição, o Palácio Piratini terá pela frente cerca de R$ 1,3 bilhão em despesas pendentes — incluindo R$ 745 milhões dos contracheques. A parcela a ser quitada amanhã, segundo a Fazenda, está garantida pelo ingresso de tributos e de repasses federais. Na sequência, há outros dois depósitos programados.

A possibilidade de que tudo seja pago de uma vez é remota. Para isso, o projeto que amplia o uso dos depósitos judiciais — recursos de terceiros sob a guarda do Poder Judiciário — teria de ser aprovado na próxima semana.

A proposta foi enviada à Assembleia na sexta-feira passada, mas governo e oposição não chegaram a um acordo para antecipar a votação. A base só aceita fazer isso se os adversários concordarem em votar, também, a proposta que eleva impostos. Até agora, nenhum dos lados cedeu.


A situação das finanças

- Até a manhã desta quinta-feira, terão ingressado cerca de R$ 300 milhões nos cofres estaduais no mês de setembro, a maior parte em ICMS.

- Como a União bloqueou as contas do Estado para sequestrar R$ 265,4 milhões para pagamento da parcela da dívida, restarão cerca de R$ 35 milhões em caixa.

- Entre hoje e sexta-feira, com as contas já desbloqueadas, o Estado receberá nova leva de ICMS, além de alguns repasses federais. Projeção: R$ 275 milhões.

- Com isso, segundo a Secretaria da Fazenda, será possível pagar a segunda parcela dos salários pendentes, estimada em R$ 230 milhões.


O calendário do parcelamento dos salários



Sexta-feira

O Piratini depositará R$ 800 líquidos por matrícula. Com isso, serão quitadas as remunerações de quem ganha até R$ 1,4 mil (32% dos vínculos).


Dia 15

O governo fará o depósito da parcela líquida de R$ 1,4 mil por matrícula, com o ICMS do comércio, recolhido no dia 12. Assim, serão quitados os vencimentos de quem ganha até R$ 2,8 mil (67% dos vínculos).


Até o dia 22

Os servidores que ganham mais do que R$ 2,8 mil receberão a parcela complementar, e 100% da folha estará paga. Como nos dias 20 e 21 ingressa mais uma leva de ICMS, há a possibilidade de antecipação.

Taxa de intermediação de locação em Canoas.

Imobiliárias passam a cobrar taxa de intermediação de locação em Canoas.

Discurso de posse da nova diretoria - Sr. Paulo Quiles
discursando em 14.08.2015.

Conforme reunião que tivemos com o atual presidente a ASSOCI - Associação dos Corretores de Imóveis de Canoas, Sr. Paulo Quiles no dia 08 de setembro de 2015, em nossas dependências, nos foi passado que as Imobiliárias de Canoas, estão iniciando a cobrar a taxa de intermediação de locação.


Como funciona, apos perfectibilizado o contrato de locação o primeiro mês de aluguel integral pago pelo locatário (inquilino) que deveria ser repassado para o Locador (proprietário) será da Intermediadora (imobiliária), passando o Locador a receber o aluguel somente apos o segundo mês de locação, ou poderá ser parcelada em até duas vezes 50% no primeiro mês e 50% no segundo mês, não podendo o proprietário se eximir deste pagamento.

Esta taxa é legal, tem como base jurídica a Resolução nº 334/92 do COFECI - Conselho Federal de Corretores de Imóveis.

A idéia é que todas as imobiliárias de Canoas passem a cobrar uma taxa que já é cobrada em grande parte do Estado do Rio Grande do Sul. 


O que não muda nada referente a taxa de administração cobrada pela administração do bem que é de 10% (dez por cento) será repassada ao Locador, já no primeiro mês de locação.

Algumas Imobiliárias já iniciaram a cobrança da taxa, nós da Guilherme Imóveis estamos em negociação com a Associ e até o momento ainda não aderimos ao sistema. Por esta razão estaremos trazendo maiores informações a respeito da cobrança nos próximos meses.

Se fosse cidadão comum, Sartori clamaria por mais segurança.

Como governante, José Ivo Sartori vive num mundo à parte.


O levantamento preparado pelo Diário Gaúcho, mostrando que a milésima morte violenta na Região Metropolitana nunca aconteceu tão cedo, é mais um eloquente alerta sobre o avanço da criminalidade na capital e municípios vizinhos.

Apesar de todas as evidências, o governador Sartori insiste que a situação está sob controle. E abre mão de pedir a ajuda da Força Nacional de Segurança Pública, tropa federal formada por policiais altamente treinados, cuja presença em Porto Alegre poderia dar um "sacode" na bandidagem. Governantes são assim: vivem num mundo à parte.

Cercados de seguranças, ninguém chega perto deles. O perigo passa longe. Quero ver Sartori como um cidadão comum, obrigado a caminhar da Avenida Salgado Filho ao Camelódromo à noite, para pegar o ônibus. Em poucos dias, estaria clamando por mais polícia na rua também.


Igual aos outros


Nosso governador disse que o quadro da segurança no Rio Grande do Sul é semelhante ao existente em outros estados do Brasil. A comparação é vaga e carece de dados comparativos.

Mas, para efeito de raciocínio, vamos admitir que seja isso mesmo. Só que 14 colegas de Sartori já pediram ajuda à Força Nacional, num sinal claro de que já não conseguem enfrentar a criminalidade sem reforço.

Se vivemos situação parecida, com diz o governador, por que não seguimos o exemplo deles então? Ou será que só estamos iguais a quem ainda não recorreu ao socorro federal?


Corneta do ex


Ex-secretário da Segurança Pública no governo Yeda, o deputado estadual Ênio Bacci (PDT) alfinetou o atual titular da pasta Wantuir Jacini pelo Twitter. "Governo demora demais para reagir contra a bandidagem. Falta voz de Comando na SSP/RS. O silêncio do secretário é preocupante", escreveu Bacci, sintetizando o pensamento da maioria dos gaúchos.

Quando a crítica é feita pela imprensa, a autoridade tende a dizer que é falta de conhecimento. Bacci, ao contrário, já sentou na cadeira de Jacini e sabe bem do que está falando.

Por sinal, embora curta, sua passagem pela Segurança Pública foi marcada pelo "calor" que a polícia deu na bandidagem. É tudo o que o momento exige.

- Opinião - 

Votei no Sartori e estou amargamente arrependida. Acho que falta muito bom senso para o atual governador.
Vivemos uma crise causada por decisões erradas do antigo e atual governo. E o Sr. Governador vai para o palanque discursar, dizendo que o povo deve ter paciência e entender a atual situação do Estado.
Eu pergunto: - E o povo gaúcho como fica?!
Fica falido e desesperado.....

Será que podemos mandar nossas contas de luz, água, internet, remédios, alimentação, escola, creche, plano de saúde, telefone, tv a cabo, combustível, cartão de trem e ônibus, financiamento da casa própria, aluguel, entre outras  para o Sr. pagar?
Gente os credores não querem saber se tu pode ou não pagar, eles querem o que lhes é devido.
E a instabilidade, no que tange a segurança publica, não podemos sair para lugar algum, e o Sr. Governador diz que não é necessário pedir ajuda a Segurança Nacional. Claro que não é necessário PARA O SENHOR pois esta seguro cercado de seguranças, mas e o resto da população?
ACORDA Sartori, deixa de ser um gringo teimoso e começa a agir como governante do estado que foi eleito pelo povo para o povo.
Não sei se um impeachment seria a solução dos problemas de finanças e seguranças do Estado. Mas acho que sim é necessário uma intervenção tanto econômica quanto militar, também acho que o Sr. Ivo Satori não tem competência pra governar e provou isso nestes ao longo destes nove meses.
Espero que tudo melhore, mas acredito que vai demorarrrrrr.

Fonte: ClicRbs Gaucha.

Levy diz que País não está em crise após redução da nota de crédito.

O ministro admite, no entanto, que o rebaixamento tem impacto na economia


O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, garantiu que o País não está à beira de uma crise, ao comentar a perda de investimento para a a economia brasileira anunciada pela agência de risco Standard & Poors. Levy concedeu entrevistas ao Jornal da Globo e ao Jornal Nacional na noite de quarta-feira (9).

O ministro admite, no entanto, que o rebaixamento do País tem impacto em diversos aspectos da economia. Segundo ele, essa decisão da agência de risco indica a importância de o governo continuar o trabalho da recuperação fiscal como uma das principais alavancas para a retomada do crescimento.

Levy lembrou, ainda, que assumiu a Fazenda para fazer o ajuste fiscal. Para garantir isso, o ministro reafirmou que o governo deve e vai cortar gastos e que os cortes serão maiores dos que já aconteceram em alguns casos.

O orçamento do ano que vem do governo federal projeta um déficit de R$ 30 bilhões.

- Opinião -

Acredito que todo tipo de economia do governo é valida, mas acho também que este ajuste não pode ser passada para o povo, através de alta de impostos e corte de serviços básicos como saúde e educação como já vem acontecendo.
Agora o que me deixou indignada, é o ministro falar que "as pessoas devem olhar com responsabilidade", é sério mesmo?!?!?!?!
"Existe um problema difícil, que é um programa que só vai ser vencido se as pessoas olharem com responsabilidade. A gente tem dado um diagnóstico transparente, verdadeiro e agora as pessoas têm que tomar essas responsabilidades em todos os níveis. O governo vai, deve cortar gastos, sim. Mais do que já cortou em outros casos. E com gestão, ferramentas inteligentes. E, se precisar, a gente tem que ter disposição de também fazer um sacrifício para todo mundo poder voltar a ter a economia crescendo", disse Levy."
O povo tá vivendo em uma dificuldade financeira enorme, não é o povo que esta roubando. Veja bem, povo que eu falo é o trabalhador que sustenta sua família, acordando todos os dias cedo, Para variar o fiel defendor da presidente Dilma, foi para a teve falar uma coisa importante, mas acabou falando besteira.
O que tem que acontecer é que todos que embolsaram o dinheiro pago pelo povo através de impostos, serem condenados a devolver tudo e serem presos, ai sim vai acabar essa recessão que estamos vivendo.

Fonte: Gaucha e G1